.posts recentes

. Política de Rendimentos p...

. Política de Rendimentos p...

. A CRISE SOCIAL NO NORTE

. A CRISE SOCIAL NO NORTE

. AGENDA SOCIAL

. Desemprego 2006

. O DESGOVERNO DA SEGURANÇA...

. OE 2007 - Assim não saímo...

. Contradições!

. INCOMPETÊNCIA

.arquivos

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

.Visitas
online
Sexta-feira, 12 de Agosto de 2005
Juntas de Freguesia !!!!
Nesta fase embrionária das eleições autárquicas, a azafama administrativa é muita, o que leva, aparentemente, os partidos políticos a manter um tom calmo e sereno. Entretanto não se pense que a “guerra” pára, ela muda simplesmente de rumo, deixa de ter uma visibilidade mediática e centrasse na “corrida às pessoas”. È importante que se diga que nesta “corrida” quase todos os partidos utilizam as mesmas estratégias, procurando através de contactos formais e informais obter o sim das pessoas (mais ou menos bem colocadas) para fazerem parte das suas listas.
Deixando de parte as listas à Câmara, Assembleia Municipal e Juntas de Freguesia da cidade (Sta. Maria Maior, Sta. Cruz e Madalena) que numa próxima oportunidade serão objecto de análise, proponho um olhar atento, sobre o que se passa nas restantes Freguesias.
Antes de qualquer abordagem política, gostaria de deixar aqui presente a minha sincera homenagem a todos os Presidentes de Juntas da periferia que irão cessar funções em 9 de Outubro do presente ano, independentemente da cor política que representam. Só o facto de lidarem com as populações já por si só, se torna um factor desmotivador para o desempenho da função que ocupam. Estes homens e algumas mulheres a troco de pouca e até mesmo insignificante remuneração, dedicam grande parte do seu tempo e da sua vida à defesa da causa comum e mesmo assim muitas das vezes são incompreendidos, quer pela Câmara (nem sempre pelo poder político, mas quase sempre pelos funcionários municipais que se esquecem rapidamente que estão a ser pagos com dinheiros públicos para servir o povo e os seus representantes e não interesses pessoais) e pelas populações que representam.
Hoje em dia, tentar encontrar alguém para liderar um projecto capaz de potenciar a melhoria das condições de vida e desenvolvimento da sua freguesia é muito difícil e quase nunca os partidos o conseguem. Nisto, em particular o PS local, tem e teve manifestamente infelicidade, pois as suas escolhas fruto de uma falta de estratégia e desorientação não têm sido as melhores. Uma grande parte dos poucos presidentes que conseguiu eleger, pouco contribuíram para a melhoria das condições de vida das suas populações.
Nos mandatos em que o PS geria este Município e praticava uma forte descriminação entre Juntas PS e PSD, que o digam os Presidentes de Junta de Sto. António de Monforte, Oura, Vila Verde da Raia, Anelhe, São Vicente da Raia, Águas Frias e todas as outras PSD que não será preciso citar, nunca receberam nenhuma verba para além das transferências obrigatórias que vinham do Governo Central ou mesmo alguma obra que fosse. Quantas vezes viram o saneamento, o reforço ou captação de água ser transitado de orçamento em orçamento e nunca ser realizado, e os arruamentos, centros de dia e apoios domiciliários que nunca foram feitos ou prestados. Ao contrário de tudo isto, as Juntas PS tinham dinheiro para esbanjar em festas e inaugurações pois no final do anterior mandato tudo servia para realizar uma festa e uma inauguração, nem que fosse a reconstrução de um muro do cemitério caído com a intempérie. Ainda hoje as placas alusivas estão espalhadas por tudo quanto é freguesia PS.
Actualmente, no mandato que agora se aproxima do fim, mesmo com a crise e as restrições orçamentais impostas pelo Ministério das Finanças, todas as freguesias receberam em termos de verbas transferidas da Câmara ( cerca de um milhão de contos) no mínimo, o valor do último mandato socialista. Além destas verbas, obras como o saneamento ( mais 32 ), o apoio à construção de centros de dia, arruamentos, abertura de caminhos rurais, reforço e captação de água, foram realizadas pelo orçamento Municipal. Com a não descriminação e equidade na repartição de verbas, podemos comparar a capacidade de realizar obra e reivindicar melhorias dos Presidentes de Junta PS e PSD. Assim, podemos perguntar. O que foi feito em Vidago? Onde foram parar as verbas da Junta? Que posições públicas tem tomado o seu presidente na defesa dos interesses de Vidago?
Podemos de facto até ir ao extremo de comparar a obra realizada em Vidago (Junta PS) e Oura (Junta PSD), uma Freguesia modelo, basta circular na estrada nacional para ver os arruamentos, o bairro social, a casa da Junta, a casa mortuária e se percorrermos o interior da Freguesia podemos observar não só estes como outros trabalhos realizados e ainda as obras realizadas na outra localidade da Freguesia Vila Verde de Oura.
Outro bom exemplo da aplicação de dinheiros públicos, vem de mais uma, Freguesia modelo Santo António de Monforte (Junta PSD), o presidente desta Junta e a equipa que lidera merecem uma palavra de apreço pelo projecto de desenvolvimento que tem implementado e certamente terá a sua continuidade, no próximo mandato com obras de grande impacto, como a conclusão da variante e do centro de dia.
Lamentávelmente e com perdas notórias para a população que representam, não podemos elogiar a atitude de alguns Presidentes de Junta PS que por não quererem, poderem ou saberem contribuem para a estagnação de algumas freguesias do nosso Concelho. Certamente que para isso contribuí a desmotivação, abandono e desorientação do Partido que representam.
Como o PS local não terá capacidade para escolher candidatos que possam constituir uma mais valia para as freguesias, faço um apelo aos outros Partidos envolvidos que coloquem as demagogias e oportunismos de lado e tenham critérios e rigor, na escolha destes candidatos.



Flavius II
publicado por FlaviusII às 11:39
link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
|
Sexta-feira, 5 de Agosto de 2005
“ Heróis, Ilustres e Notáveis “
Em tempos passados e recentes, vária gente se foi e vai notabilizando quer por feitos pessoais ou ao serviço de instituições tornando-se assim, grandes figuras históricas. Alguns deles, conseguiram em vida e em morte perdurar ao longo dos tempos como símbolos que a população relembra com agrado. Outros houve, que a história nos deixa na memória, apesar de terem atingido o apogeu, não o souberam manter e com as suas atitudes e posições pessoais foram denegrindo aquilo que de bom tinham feito. Exemplos passados e recentes há muitos em todos os quadrantes da sociedade, mas podemos lembrar aqui alguns que nos ficaram mais retidos; Charles de Gaulle, herói da Primeira Grande Guerra e considerado traidor na segunda Guerra Mundial; Sadam Hussein e Augusto Pinoche, autênticos líderes e libertadores dos seus povos que depois se tornaram ditadores e tiranos; Jim Morrison e Diego Maradona, grandes ídolos da juventude e depois verdadeiros exemplos a não seguir. Muitos mais existem, mas estes já chegam para servir de exemplo, daquilo que não deve ser feito.
As personalidades aqui descritas, praticaram actos deploráveis e gravemente lesivos para a sociedade em que viveram e vivem. Não pretendo com este artigo exercer qualquer termo de comparação entre elas e alguém que venha a ser citado posteriormente, mas sim, relembrar que um dia foram a alegria do povo e por atitudes e comportamentos tomados, não são lembrados hoje da melhor forma.
Portugal não foge a estas situações, houve e há personalidades de todos os sectores que após estarem no auge, por atitudes posteriormente tomadas foram decaindo até ao esquecimento. A nível institucional é por demais evidente, as pessoas usam as instituições como forma de auto promoção e depois as mesmas é que lhe devem a elas e nunca elas às instituições.
Nunca li ou ouvi de ninguém que hoje seja ou tenha sido uma personalidade importante, dizer que tudo o que tem foi a instituição que lho deu e por isso lhe estão gratos. O exemplo concreto disso são: Presidentes da República e Primeiros Ministros, Presidentes Câmaras, Empresas Públicas, Hospitais, Institutos, Clubes de Futebol, etc.; o país deve-lhes muito por esta ou aquela governação e uma ou outra medida de Gestão que fizeram ou tomaram.
Tudo isto, não seria muito grave se todos estes “ilustres e notáveis” se mantivessem no seu canto sem quererem influenciar através da sua imagem, actos ou opiniões, quem quer seja. Alguns deles, após a conquista do estrelato (diga-se, bem pago e à custa do erário público) não se contentam em ficar por aqui, tentam de uma forma ou de outra subjugar o povo.
É por demais evidente, isto acontecer nos partidos políticos, então no PS nacional sempre que se aproximam eleições é um desfilar de estrelas a tentar orientar o sentido de voto do povo.
O PS local e suas gentes como bons discípulos não põe de lado as orientações do Engenheiro(zinho), como evidencia disso, começa por apresentar o desfile de estrelas. O primeiro e o segundo da lista já foram apresentados, um como mandatário e outro sabe-se lá como. Um desses “ilustre” que à custa de bons vencimentos ( que se saiba de graça não trabalhou) e de homenagens (pagas com dinheiros públicos e feitas pelo PS e PSD) foi subindo na categoria dos “notáveis”, procura agora como no passado, influenciar o voto num dos sentidos. Porquê?
Parece a todos nós que a cidade, as termas e até o concelho lhe devem muito e eternamente. As termas antes deste “notável”, não eram conhecidas nem teriam condições naturais para que tal viesse a acontecer?
Quem será o senhor que se segue? Deixem-me adivinhar, talvez um que com algum dinheiro usa, Património Nacional, Televisão Pública e a influência de um “ilustre nacional”.Porquê? Será que, como fez no passado irá escrever uma carta aos súbitos da sua terra, ordenando-lhes que votem em determinado partido? Quem sabe se a carta agora não será dirigidas a todos os súbitos deste concelho.
Tal como outros a nível mundial, estes “ilustres” não se sabem manter à margem do que não lhes diz respeito e, procuram assim fomentar a divisão e a subordinação das suas ideias.
Mas ao contrário destes, que por ventura a história contemplará, ainda existem alguns tais, como o “ilustre pintor”, a quem lhe irá ser feita uma homenagem (com uma grande obra) que não se imiscuem em assuntos que não lhe dizem respeito e por outro lado procuram dignificar e levar mais além, a sua terra, através de uma obra que transporá tempos infinitos e a quem a história, certamente, fará justiça.


Flavius II
publicado por FlaviusII às 14:48
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
.mais sobre mim
.pesquisar
 
.Dezembro 2006
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
24
25
26
27
28
29
31
.links
.Fazer olhinhos
blogs SAPO
.subscrever feeds